Viciados em BBB?

Henrique França
@RiqueFranca

São dez anos, doze edições e milhões de reais arrecadados em produtos, taxas cobradas por ligações, audiência e conseqüente realocação dos “brothers” e “sisters” que não raro viram “atores”, modelinhos e afins na mídia tupiniquim. Sim, estamos tratando daquele programa de três letras e várias reticências para o intelecto, o respeito e o limite entre o voyerismo gratuito e o ridículo bem pago.

No último sábado, durante um programa para jovens notívagos, duas figuras centrais para o Big Brother Brasil estavam sendo entrevistadas. Em dado momento, o apresentador do Reality Show Pedro Bial disparou: “gosto de ver coisas ruins em televisão, os piores programas. É onde eu aprendo mais”. De imediato, o diretor José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, arrematou: “quer dizer que você assiste o BBB!”.

A gargalhada geral deixou um clima de camaradagem no ar, mas a cena revelou, de fato, uma escapada grave pela boca da serpente. A TV brasileira tem descido sem vergonha a ladeira do bom senso, sem freio. Exagero? O mesmo Pedro Bial, o jornalista escritor e poeta que cobriu a queda do muro de Berlim, afirmou durante a entrevista: “para me sentir à vontade [como apresentador do BBB] eu tive que me despir da condição de jornalista e ser ali um Zé Mané junto com os outros”. As palavras estão lá, gravadas e disponíveis na web.

Os ‘Manés’ parecem mesmo estar muito além do tal confinamento do programa. Da casa do BBB à casa do telespectador, pouca coisa muda: todos comungam como o “pior da TV”, como gargalharam o apresentador e um dos principais diretores da televisão brasileira. Texto da assessoria do Programa revela direcionamento semelhante ao dado pela Revista Época (não à toa ligada ao mesmo grupo midiático brazuca) sobre o cantor Michel Teló (e comentado neste espaço): “O BBB 12 marca nosso aniversário de uma década – dez anos em que o mundo se transformou. O BBB foi um dos principais palcos onde se assistiu a essas mudanças, seus sintomas e reflexos. Há dez anos, os temas e questões morais que afloram no BBB ainda não eram conversa de salão”. Pelo absurdo do texto, faltou muito pouco para o Big Brothet Brasil mudar o mundo!

Enquanto o noticiário revela as calamidades recorrentes Brasil afora, pela chuva que sempre alcança a população em total abandono pela gestão pública, as câmeras indiscretas da Casa não se abstêm de revelar as beldades em banhos de chuveiros quentes e edredons confortáveis, academia privativa, piscina, pista de dança, mimos caros e dramas existenciais que causam náuseas ao brasileiro comum e não BBBobo. Enquanto se discute o consumo de drogas no País, centenas de jovens têm se declarado “viciados em BBB”. O que é pior, o anestésico físico ou o engessamento intelectual?

Mas isso pode não passar de simples exagero de quem não se despiu da condição de jornalista para tornar-se um Zé Mané – ou ainda não descobriu o que se aprende com os ‘piores programas da televisão brasileira’. De qualquer forma, fica a dica: no lugar de dar ‘aquela espiadinha’, experimente abrir bem os olhos.

[Texto publicado no Jornal A União, edição de 11 de janeiro de 2012]

Anúncios

5 responses to this post.

  1. É. Aquele velho problema da TV brasileira: enquanto mais “descartável”, mais usado é. Não me surpreendo em saber que um programa como o BBB tenha se tornado um fenômeno de audiência. Eu comparo com as propagandas eleitorais. Só há uma(s) diferença(s): enquanto um aliena a “consciência política” de um sujeito, a outra aliena a condição de “ver o mundo” de outros. Bem… aí você já deduz o resultado: milhares de pessoas “viciadas” em um mundo de fantasias, idealizadas nas casa dos sonhos, com o dia inteiro de ócio, vendo a vida passar por uma tela, imaginando se tornar o próximo “brother”, do próximo programa.

    Responder

  2. Posted by Luciana Dias on 11 de janeiro de 2012 at 8:11 pm

    É o PIOR programa da face da terra!!!!! E o “grande” jornalista Pedro Bial, que pra mim hoje é só grande em altura, se tornou com o programa o pior apresentador, onde chamam os desocupados do BBB de heróis… ninguem merece!

    Responder

  3. […] mais: Viciados em BBB? « #CotidianaMente Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag bbb, cotidianamente:, viciados. […]

    Responder

  4. Ahhhh, antes de mais nada, eu sou fã dos seus textos e isso é tudo. Já que pra mim é extremamente difícil comentar sobre algo que propositalmente desconheço, entretanto acredito que o seu desfecho tenha sido o suficiente para a reflexão, afinal quem faz a TV são aqueles que a veem.

    Beijos!!!

    @JuhBarreto

    http://www.prejornalismo.com

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: